Olho irritado pode ser sintoma de olho seco

A síndrome do olho seco é uma condição considerada comum hoje. Ela é provocada normalmente pela falta de lubrificação nos olhos e quando ocorre algum tipo de anomalia que prejudica a produção ou a qualidade das lágrimas.

As lágrimas têm a função de lubrificar, limpar e proteger o olho das agressões causadas por substâncias estranhas ou micro-organismos. Sem elas, o olho corre o risco de se tornar ressecado e, portanto, mais vulnerável a problemas como lesões oculares.

Existem diversos motivos pelos quais o olho pode se tornar ressecado. Além do já mencionado mal funcionamento na produção das glândulas lacrimais, a lubrificação do olho também pode ser afetada pelo envelhecimento, doenças hormonais, reumatológicas, sistêmicas e autoimunes, anormalidades nas pálpebras, além do uso de certos medicamentos.

É possível também que a secura no olho causada por fatores ambientais, pode também ser agravada por fatores comportamentais. Situações como ar condicionado, vento, clima quente e seco, fumaça, telas de dispositivos eletrônicos, podem, de fato, tornar o olho mais seco. A maioria das pessoas tem uma sensibilidade bastante alta nos olhos em relação à poeira e ao tipo de ambiente, dessa forma elas percebem mais os sintomas de olho seco.

Além desses fatores acima, é preciso frisar que certos hábitos também propiciam a condição. A exposição excessiva à luz de telas, como televisão, computadores, tablets e celulares induz as pessoas a piscarem menos, prejudicando a lubrificação do olho. Em tempos de pandemia, com muitas pessoas trabalhando em home office, esse problema tem se destacado.

Um dos maiores problemas da síndrome do olho seco é que algumas pessoas podem usar colírios por conta própria, evitando buscar ajuda médica. Isso deve ser evitado ao máximo, já que lesões oculares podem aparecer e ser bastante incômodas. A prevenção e tratamento da síndrome do olho seco é sempre melhor do que corrigir uma lesão ocular.

Por isso, fique atento a sintomas como: Secura, coceira, vermelhidão, fotofobia, ardor, dificuldade para mexer as pálpebras, lacrimejamento excessivo e excesso de muco na região dos olhos. São todos sintomas comuns da doença e, caso sejam percebidos, ajuda médica deve ser buscada.

Quem sofre com a síndrome do olho seco precisa de acompanhamento oftalmológico para o benefício da saúde ocular. Sem tratamento, podem ocorrer lesões na córnea que comprometem a qualidade da visão temporária ou definitivamente.

Em caso de suspeita ou para maiores informações, entre em contato com o Dr. Edson Iramina e agende sua consulta.


Posted in Sem categoria


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *