Ar-condicionado facilita o surgimento da conjuntivite?

Ambiente seco pode aumentar os riscos de contágio de conjuntivite

Em épocas do ano, principalmente no verão, quando as temperaturas sobem, o uso de ar-condicionado aumenta e pode colocar em risco a saúde dos olhos. O ambiente resseca e, consequentemente, a lágrima também; a película lacrimal sobre a superfície dos olhos com anticorpos para combater infecções, precisa ser renovada continuamente. Nesta situação, ela evapora mais rápido e as defesas diminuem.

Um dos problemas mais recorrentes da exposição excessiva ao ar-condicionado é a conjuntivite, por conta do confinamento com muitas pessoas no mesmo ambiente e o entra e sai de lugares com diferentes temperaturas. Esses fatores diminuem a defesa do organismo e favorecem a proliferação de vírus.

Os principais sintomas da conjuntivite são olhos vermelhos e lacrimejantes, inchaço nas pálpebras, intolerância à luz, sensação de corpo estranho e visão embaçada. Quando causada por bactéria, a secreção é amarelada e com pus; já na viral, apresenta-se mais limpa e aquosa. Costuma ser identificada sem dificuldades pelo médico.

O contágio se dá, principalmente, pelas mãos, quando se coça o olho infeccionado e depois contaminando algum objeto. Por esse motivo, manter uma boa higiene é fundamental.

Conheça algumas formas de evitar o contágio:

  • Lavar as mãos, frequentemente, com água e sabão e usar álcool em gel;
  • Usar óculos escuros, pois funcionam como uma barreira mecânica para não levar as mãos aos olhos;
  • Usar toalhas descartáveis para que outras pessoas não sejam contaminadas;
  • Os ambientes secos aumentam a tendência a esfregar os olhos, mas é preciso evitar;
  • Não utilizar maquiagens e lentes de contato.

Para evitar o ressecamento dos olhos, bem como a conjuntivite, algumas atitudes são benéficas: usar colírio lubrificante, recipientes com água para umidificar o ambiente, borrifar água no lugar de tempos em tempos ou adquirir um umidificador de ar.

Quer mais informações ou tirar dúvidas? Entre em contato com o Dr. Edson Iramina e agende a sua consulta.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *